Tecidos tecnológicos: como eles melhoram a performance do atleta?

Por:Alessandro Assis
Dicas

16

Mar 2017

Os tecidos tecnológicos hoje fazem parte da nossa realidade. Eles auxiliam qualquer pessoa (principalmente atletas profissionais) a terem um maior conforto e performance durante a prática de exercícios físicos.

As roupas com esses tecidos estão à disposição em praticamente qualquer loja de artigos esportivos, o que demonstra ainda mais a sua efetividade e aceitabilidade pelo público geral. Para saber quais são esses tecidos e como eles melhoram o desempenho do atleta, continue lendo!

Os tecidos Dry Fit

Como é de se esperar, a maioria dessas novas roupas fitness buscam principalmente a leveza e a absorção do suor. Desde os anos 2000, no mercado mundial existem várias tendências. A maior de todas é com o famoso tecido Dry Fit, que consegue aliar as duas características supracitadas em suas peças de roupa.

Dry Fit é o tecido indicado para pessoas que vão praticar corrida, musculação e qualquer outra atividade física que pode ser praticada ao ar livre ou não (como a caminhada, por exemplo). Sem dúvidas, é um tecido muito versátil e que pode ser utilizado com muita frequência em várias peças de roupa.

Como curiosidade, algumas das maiores marcas do mercado, além de utilizarem o Dry Fit como tecnologia principal para compor a roupa, também eliminam várias costuras para deixar a camisa o mais leve possível – o que ajuda a aumentar o conforto durante a prática de exercícios.

As roupas de compressão

O segundo grande grupo de roupas direcionadas para atletas são as roupas de compressão. Essas roupas são muito utilizadas por atletas de ciclismo, natação, musculação (em alguns casos), triátlon e uma série de outros esportes (ou exercícios).

Como você pode perceber, essas roupas são indicadas, na maioria das vezes, para esportes olímpicos, onde o desgaste muscular é muito acentuado.

Em suma, as roupas de compressão visam ajudar o atleta a diminuir a sua fadiga muscular, câimbras e também a diminuição de lesões musculares. Algumas peças ajudam até mesmo a melhorar o processo de recuperação após a prática desses exercícios (essa última é mais indicada para atletas de altíssimo nível, já que atletas amadores podem não perceber esse benefício).

Todavia, no caso da natação, a utilização da roupa de compressão tem um objetivo diferente. Nessa modalidade, o foco é a busca da diminuição máxima do atrito do atleta com a água. Na maioria dos casos, essas roupas são utilizadas em atividades de longa duração, alta intensidade e alta frequência de treino pelo atleta praticante.

Qual dos tecidos tecnológicos escolher para a minha atividade

Como uma regra, qualquer praticante de esportes deve ter, pelo menos, uma camiseta e uma bermuda (ou short) com a tecnologia Dry Fit ou semelhante no seu vestuário. Essa escolha é fundamental, justamente pela versatilidade que esse tecido proporciona – praticamente qualquer esporte (ou treino) pode ser feito com esse tipo de vestuário.

Em relação às roupas de compressão é importante observar o seu caso específico. A maior utilização está atualmente no ciclismo e na corrida, onde existem bermudas e calças que visam a diminuição do atrito entre as duas pernas – o que elimina assaduras e desconfortos durante a prática prolongada dessas atividades.

Essa roupa pode ser utilizada em conjunto com uma outra peça Dry Fit. Você pode utilizar uma bermuda e essa segunda roupa de compressão “por baixo” – essa maneira de utilização é muito comum e pode ser observada no futebol profissional, por exemplo.

Nesse post foram citados os tecidos tecnológicos mais utilizados. Ainda existem inúmeras outras tecnologias no mercado, que possuem ação semelhante ao Dry Fit, como a ClimaCool Climalite. Vale ressaltar, que todas essas roupas com os tecidos tecnológicos citados podem ou não ter proteção contra odores e raios ultravioleta, de acordo com seu fabricante.

E então, gostou das dicas apresentadas? Você já conhecia algum dos tecidos tecnológicos mencionados no texto? Se quiser receber nosso conteúdo em primeira mão, não deixe de assinar a nossa newsletter!


Compartilhe: